domingo, 27 de fevereiro de 2011

Sessão de BD com José Carlos Fernandes


A Biblioteca da escola sede do Agrupamento promoveu, no dia 22 de Fevereiro, no auditório, uma sessão sobre Banda Desenhada, com o autor, José Carlos Fernandes, com mais livros editados deste género. Licenciado em Engenharia do Ambiente, portanto sem formação artística, começou a dedicar-se à BD e ilustrações em finais dos anos oitenta. A partir daqui nunca mais parou e os seus trabalhos são muito apreciados.
Com esta sessão pretendeu-se cativar os alunos das turmas C e D do 7.º ano para a leitura e para a criação de Bandas Desenhadas originais.

Convence-me a ler o teu livro

  
Olá! Chamo-me Carolina Correia, tenho 12 anos e estou no  7.º ano, turma B. Vivo em Almancil. O livro que vou apresentar é « Maria - Os segredos da irmã mais velha», de Margarida Fonseca Santos e Maria João Lopo de Carvalho.

    A Maria tem quinze anos e é a mais velha de seis irmãos. Os seu dia-a-dia está cheio de acontecimentos. Desde a escola ao ballet, passando pelos programas com a família e amigos, tudo é vivido intensamente.
   
   A vida desta adolescente torna-se mais preenchida, quando a meio do ano lectivo, um novo colega, o João Pedro, chega à Escola Martim Moniz. Ele é tímido e discreto, mas a sua presença na turma de Maria não lhe é indeferente e leva-a a peguntar-se: « Será que me apaixonei mesmo a valer?»

   Se gostaste do que te contei, lê o livro! Vais ficar fascinada!

O teu amor

   

    Desde que surgiste, a minha vida ganhou cores mais vivas e brilhantes. Sinto-me iluminado sempre que penso em ti, sempre que uma lembrança tua me vem do nada.

     Não quero dizer que era uma pessoa triste antes de apareceres, mas faltava alguma coisa que me guiasse com alegria, que ne apontasse, com mais entusiasmo, o caminho para um futuro feliz.

     Quero continuar amar-te e a fazer-te feliz, como tu me fizeste.

      Já passámos pelo mais difícil, enfrentámos obstáculos, sempre bem sucedidos, porque a tua ajuda foi muito grande.

      Mas agora só quero pensar no futuro e no melhor que o futuro nos reserva.

Mihãitã Bilici, 7.º B

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

JI de Almancil na Sala Mágica

As professoras Ana Ribeiro e Isabel Assunção vieram com os seus alunos à Biblioteca Escolar "Sala Mágica" para visionarem a história "A Festa de Anos do Tomás". Depois os alunos ilustraram 4 momentos da história e realizaram várias actividades com o apoio dos monitores.


Higiene Oral na EB1 de Almancil


















O Higienista Oral - Pedro - do Centro de Saúde de Loulé, durante três dias promoveu, na Biblioteca Escolar, várias sessões para formação dos alunos da EB1 de Almancil.
Os alunos aprenderam como escovar correctamente os dentes entre outras rotinas para uma boa higiene dentária.

O Carnaval de Loulé

           
            Carnaval de Loulé teve a sua origem no ano 1906.
Antes dessa data o Carnaval era festejado pelo povo de forma violenta, sem graça e com pouca alegria.
Foi então, no ano de 1906, que um grupo de pessoas decidiu mudar a forma como era festejado o Carnaval, pois queriam que passasse a ser mais civilizado, limpo e elegante, para ser uma festa de todos e para todos.
Para mudar os festejos, resolveram fazer uma campanha de divulgação, para a qual contribuiu o jornal “ Folha de Loulé “, em que explicaram ao povo a ideia, que foi muito bem recebida pelas pessoas, também elas já cansadas de um Carnaval violento e sem graça.
Foi decidido nomear uma Comissão Promotora para se encarregar de todos os preparativos da festa.
O programa do Carnaval foi dividido por 3 dias, do qual fazia parte uma Matinée no Teatro Louletano, uma Batalha de Flores e um Bodo aos Pobres. A Batalha das Flores, consiste em as pessoas atirarem flores de papel umas às outras, foi uma maneira divertida e civilizada de brincar ao Carnaval.
Nesse ano, o tema do Carnaval foi a Paz, Amor e Carinho, sempre festejado num ambiente de muito respeito e civismo.
Conforme acontece ainda na actualidade, com o passar dos anos o Carnaval tem tido um tema sempre diferente, que tem a ver com a sociedade, questões políticas ou acontecimentos importantes do ano. Mas, sempre baseados e, críticas cheias de bom humor, com muito divertimento e muitas gargalhadas.
E foi assim a origem do Carnaval até aos dias de hoje.
 Vamos ver se haverá mais história daqui a uns anos…
Pesquisa efectuada por Ana Guerreiro
 5.ºA

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Amor à primeira vista

 
     Um rapaz com o nome de João, tinha muita dificuldade em se apaixonar. Não acreditava no amor à primeira vista, visto que para ele era impossível.

    Um dia, a caminho da escola, no autocarro, viu uma nova aluna. O João ficou de boca aberta. Será que se tinha apaixonado? Não parava de olhar para ela. Ficou nervoso, porque nunca lhe tinha acontecido nada parecido.

    Ele até deixou passar alguns dias para ver se o amor não era passageiro. Mas não! Estava mesmo apaixonado. Ele não ouvia nem via mais ninguém a não ser a nova aluna. Ganhou coragem, finalmente, e foi falar com ela. Então descobriu-lhe o nome, chamava-se Francisca. Desta forma, apresentaram-se e tornaram-se amigos. Conheciam-se cada vez melhor e João já nem conseguia disfarçar bem o que sentia.

    Na escola, já se andava a comentar que eles namoram, pois a Francisca também gostava do João, só que conseguia disfarçar melhor.

    Num dia cheio de sol, o João acordou confiante e convidou a Francisca para um almoço. Nesse mesmo almoço, pediu-a em namoro e Francisca aceitou. João que nunca acreditou no amor à primeira vista passou a acreditar, pois encontrou o seu grande amor.

   Conclusão, ficaram felizes e juntos para sempre.

Conto com Reflexão para as turmas A, B, C e D do 7.º ano


No dia 16 de Fevereiro, no âmbito da Promoção do livro e da leitura decorreram duas sessões de Conto com reflexão para as turmas A, B, C e D do 7.º ano de escolaridade. Estas actividades lúdico-pedagógicas foram sobre O Cavaleiro da Dinamarca, de Sophia de Mello Breyner Andresen. Esta actividade foi muito apreciada pelos alunos e contribuiu para motivar os alunos para a leitura de obras integrais. A acção realizada resultou de um trabalho conjunto entre o Grupo de Língua Portuguesa e a Biblioteca.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

2ª fase do Concurso Nacional de Leitura

  

A Fase Distrital do Concurso Nacional de Leitura realizar-se-á, no dia 05 de Abril, na Biblioteca António Ramos Rosa, em Faro ( Biblioteca Pública escolhida pela DGLB para a realização deste evento). Para apurar os melhores leitores do 3º ciclo, estarão presentes alunos de diferentes escolas do distrito de Faro. Os concorrentes serão avaliadas em função da leitura dos seguintes livros “O Senhor Valéry” de Gonçalo Tavares, e  “Os da minha rua” de  Ondjaki. Os alunos Cátia Cristina, da turma A, Ricardo Pais, da turma B e Yan Wang da turma D,  do 7.º ano, representarão a nossa escola.

Vanina, ao luar n´ O Cavaleiro da Dinamarca



Sinto-me tão triste!
Sinto-me tão só!
A minha garganta sufoca!
Passo os dias a bordar.
Passo os dias a suspirar!
Esperando alguém que me venha salvar.
Estou perdida num mar de amores...
Falta-me tudo!
Não sei onde estás.
Noite após noite, choro no meu quarto.
Não sei onde te hei-de encontrar.
Custa-me tanto viver assim!
Foste-te um dia sem avisar e foi assim que te perdi.
Dói-me tanto viver assim!
Quero voltar a estar contigo, meu amor!
Finalmente, não te esqueceste de mim e vieste ao meu encontro.
Sonhei com esta noite todos os dias.
Gostava de ter uma estrela para ver onde te encontravas.
Vou pentear os meus cabelos para veres o brilho deles.
Vamos fugir para bem longe... para bem longe do homem que me trancou aqui.
Numa noite de luar, dançaremos com o vento, muito juntos, a valsa do nosso amor!

Ludmila, 7.º B 

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

JI de Almancil inicia aprendizagem do Paint

A professora Ângela promoveu, com as educadoras Sara e Helena, uma sessão de Paint com os seus alunos. As crianças puderam conhecer  o programa e produzir desenhos muito criativos.


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

14 de Fevereiro

Continuação do conto: «Uma família Inglesa» de Júlio Dinis

      
Cecília a Carlos casaram e fizeram uma grande festa. Houve um grande banquete. Estava lá toda a gente e todos dançaram com grande alegria. Foi uma festa incrível!
Dois dias depois, para comemorar o seu casamento, eles viajaram de barco até  Itália. Quando lá chegaram, instalaram-se no palacete da família. Os criados tinham preparado um festim  em honra da sua chegada.
Estiveram lá quase um mês e, durante as férias em Itália, Cecília engravidou.
Quando voltaram a Portugal disseram aos seus familiares que  Cecília estava à espera de um bebé. O pai de Carlos mandou uma carta à sua família, em Inglaterra,  contando  que o  seu filho iria ser pai. Fez-se uma grande festa em honra de Cecília e de Carlos pois, em breve, seriam pais.
Os familiares de Inglaterra, assim que receberam a carta, fizeram as malas e vieram ao Porto visitá-los e, para se conhecerem melhor, fizeram um  jantar.   Passados alguns dias, os familiares de Carlos tiveram de regressar a Inglaterra.
Alguns meses mais tarde, Cecília e Carlos foram pais de um lindo casal de gémeos. A menina chamou-se Lisa e o menino chamou-se Miguel.
No dia do seu primeiro aniversário a família reuniu-se toda. Fizeram uma festa e um grande baile, após o jantar ter terminado. Todos  se divertiram muito.
Alguns anos passaram e Lisa e Miguel encontraram o seu verdadeiro amor.
Entretanto,  o pai de Carlos adoeceu e acabou por falecer alguns dias depois.  Estavam  já todos conformados, pois ele andava assim  já há  muito tempo e o médico avisou logo que,  provavelmente, não iria resistir.
 O pai de Cecília ficou rico, pois  ganhara  um concurso.
Jenny casou e teve filhos lindos.
E assim viveram felizes para sempre!

 Raquel Inocêncio, 5.ºA

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Versão alentejana d` Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente


Vem um pastor Alentejano com o seu cajado, e chega à barca infernal, e diz:

ALENTEJANO:
Ó da barca!
DIABO:
Quem vem lá?
ALENTEJANO:
Atão, sou eu, o Maneli!
Moço alentejano, pastor de ovelhas
e condutor de parelhas,
filho do Zé D`Alzira
e homi da Zulmira.
DIABO:
Pastor?!
Fazes cá falta no meu rebanho
de tão grande tamanho.
Entrai, entrai
que vos levo nesta viagem.  
 Sentai-vos e apreciai a paisagem.
ALENTEJANO:
Olha, olha o magano,
que me havia de calhar!
Vermelho, com cornos
 e um pau para me picar!
 Atão vossemecê tem um rebanho?
Com esta barca é um pouco estranho!
O Xico pescador,
o que tem o filho doutor,
tambein não batia bem da moleira,
dizia que guardava peixes,
quando saia na traineira.
DIABO:
Sou pastor de almas condenadas,
pelas chamas alimentadas.
Vinde, vinde para este recanto,
escutai seu brado, seu pranto.
ALENTEJANO:
Isso querias tu,
vai de recto, Belzebu!
Sou homi honrado
e pai de filhos respeitado.
Trabalhi de sol a sol,
à chuva, ao frio, ao vento.
Enfim, uma vida de tormento!
DIABO:
Aqui tendes calor,
e para tuas dores,
tenho cá muitos doutores.
 Entrai, entrai senhor
bom homem pastor.
ALENTEJANO:
Atão nã havia de seri!
Nã m`acredito no teu sorriso,
minha alma merece o paraíso!
Cala-te alma atormentada,
senão ainda levas uma bordoada!
Chega o pastor alentejano ao batel do anjo, e diz:
ALENTEJANO:
Ó da barca!
ANJO:
Que queres?
ALENTEJANO:
Entrar no teu barquinho,
tão arrumado e limpinho.
ANJO:
E quem és tu?
ALENTEJANO:
Sou o Maneli,
 pastor de profissão.
Homi dedicado e de bom coração.
ANJO:
Pareces importunado,
aborrecido, acabrunhado.
ALENTEJANO:
E não havera de estari!
Deixei a minha amada mulher
e cinco moços esgrouviados.
Que vai ser deles, que vão comer,
 tadinhos dos desgraçados!
ANJO:
 Teu tormento dá que fazer,
mas não te deves preocupar.
Tens uma grande mulher,
e solução há-de encontrar!
ALENTEJANO:
É bem verdade!
É moça trabalhadeira,
desde nova muito prendada.
Nos campos foi mondadeira,
e em casa, mulheri dedicada.
Mas nã q`ria ter morrido,
assim, desensofrido!
ANJO:
Mas de que morreste,
de que maleita sofreste?
ALENTEJANO:
De uma “chaparrose”,
quando pela v`reda seguia.
Já era nôte e mal se via.
ANJO:
 Chaparrose?! Não conheço!
É mal de bebida,
ou moléstia desconhecida?
ALENTEJANO:
Nada disso!
Ontur`dia,
à nôtinha, fui à fonte da ribeira
encher a cantareira
e matar a sede pelo cucharro.
Estava eu sentado,
quando me caiu em cima o velho chaparro!
À cama fui parar,
e ali fiquei adormecido, deslembrado.
Nunca mais arrebitei
e por Deus fui chamado!
ANJO:
Então vamos para o paraíso,
que eu quero ver seu sorriso.
ALENTEJANO:
Vamos lá atão a navegari,
que eu mais não posso esperari!
 Rodrigo Dias  5ºE

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Exposição "Contos do Mago"

Vem visitar a Exposição que está na Sala Mágica!

Vais encontrar trabalhos, feitos pelos alunos da EB1 de Almancil, a partir da leitura do conto "O Caso do Oceano Remendado".

Vem conhecer os Mago Zóico, as Turritelas e as Ornitogeias.

Vem saber como é que nós imaginámos estas personagens e as lengalengas que criámos a partir delas.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

DIA INTERNET SEGURA - 8 DE FEVEREIRO


 Algumas curiosidades sobre a utilização da Internet

Os jogadores estão, em média, 8 horas por semana a jogar online.

Os jovens dormem menos 2 a 3 horas por noite do que há 10 anos atrás. 

Em Janeiro de 2010, foram registadas 18 milhões de pessoas no jogo online «Second Life».

O Facebook reportou mais de 500 milhões de membros activos. Os utilizadores estão cerca de 700 biliões de minutos no Facebook todos os meses.

Há 13 milhões de jogadores do World of Warcraft (WoW), o maior jogo em plataforma virtual do mundo.
 
“12% das crianças e jovens entre os 9 e os 16 anos referem que já se sentiram incomodadas ou perturbadas através da Internet” .

“Os riscos sexuais (ver ou receber imagens sexuais online) são os mais comuns, mas poucas das crianças expostas os acham nocivos” .

 “29% das crianças europeias dos 9 aos 16 anos que usam a internet já comunicaram com alguém que não conheciam cara-a-cara, uma actividade que pode ser arriscada, mas também divertida”.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Convence-me a ler o teu livro




Olá! Chamo-me Irigiara Moura, tenho 12 anos e estou no  7.º ano, turma B. Vivo em Almancil. O livro que vou apresentar é «A Casa das Bonecas», de Maria do Carmo Rodrigues.

    Era uma vez duas crianças irmãs, chamadas Joaninha e Chico, que tinham ganhado uma casa de bonecas, numa rifa comprada ao afilhado do pai deles.

    Como a casa era muito grande, a mãe decidiu pô-la no quarto de Chico.

    Naquele quarto, Joaninha e Chico imaginavam a casa  de bonecas numa floresta, entre enormes árvores...

    O  resto não conto...Leiam que vão gostar, porque nunca é demasiado tarde para voltar a ser criança!



1.º Ano de Escanchinas na Sala Mágica

Os alunos do 1.º ano da EB1 de Escanchinas vieram conhecer a Biblioteca Sala Mágica. A professora Ângela Galvão apresentou um power point com uma fábula sobre o inverno. Depois os alunos acompanhados por seis monitores exploraram a Biblioteca.


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O amor de Guidobaldo n´O Cavaleiro da Dinamarca

                                                                                                        
                                                                                                                12 de Fevereiro de 1430

    Querida Vanina,

    És a rapariga mais bonita que conheci!

    És a flor do meu jardim. És a onda do meu mar e, por isso, quero dizer-te que o meu amor por ti será eterno.

    Quando olho para o teu rosto parece que o mundo inteiro pára. Os teus lindos cabelos loiros brilham mais do que a lua e deixam-me tonto.
  
    És a única mulher que faz com que o meu coração bata rápido e devagar ao mesmo tempo.

    Foge comigo! Vem! Deixa Jacob Orso! Viajaremos sem rumo e destino.
    Vanina, sem mais demoras,  AMO-TE!

    Guidobaldo, o teu amado.

Juliana, 7.º C

A amizade

  

    O encanto da vida depende unicamente das boas amizades que cultivamos.

    A amizade é como uma árvore, não importa a sua altura, nem idade, mas sim o sabor dos frutos que dá.

Niliam Pires, 7.º C

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

4.º ano de S. Lourenço na Sala Mágica

Os alunos do 4.º ano da EB1 de S. Lourenço visitaram a Biblioteca Escolar Sala Mágica, onde puderam visionar o site "Histórias da Kika" criado por Educadora Isabel Oram. Os alunos conheceram a história dos três porquinhos, escrita em verso. Depois puderam realizar várias actividades na Biblioteca com o apoio dos monitores Tatiana, Rebeca e Nilton.